[2010] Soy Tu Dueña

Na iminência de entrar no ar e sem história escolhida, o produtor Nicandro Díaz González apelou à nova versão de um grande sucesso recente.  Soy Tu Dueña abriu um precedente para que remakes de histórias que já foram feitas no México há relativamente pouco tempo voltassem com cada vez mais frequência.

Na história, Valentina Villalba (Lucero) tem a vida perfeita: apesar de órfã, é milionária, e vai se casar com Alonso (David Zepeda). Ela vive com sua tia Isabel (Silvia Piñal) e sua prima Ivana (Gabriela Spanic), que a inveja e é amante de Alonso. Ambos tramam um plano para deixar Valentina sem nada. No dia do seu casamento, Valentina é abandonada no altar pelo noivo. Então, ela se transforma e de uma jovem doce e meiga, vira uma mulher amarga e implacável. Vai viver em uma antiga fazenda de seus pais, onde conhecerá José Miguel Montesinos (Fernando Colunga), um bom homem que se apaixona imediatamente, e Rosendo Gavilán (Sergio Goyri), seu capataz, que ficará obcecado por ela. Ao mesmo tempo em que enfrenta uma nova vida, Valentina tem que lidar com os antigos problemas: como a volta de Ivana, que obcecada por José Miguel, decide fazer de tudo para atrapalhar essa complicada história de amor.

duenacasalSoy Tu Dueña foi um sucesso do horário nobre. A habilidade de Nicandro Díaz em escalar um grandioso elenco, aliado a qualidade da história, prometiam um sucesso. Quase todas as novelas no México são remakes, mas a surpresa estava que essa nova versão estava tão calcada com os dois pés na adaptação realizada por Maria del Carmen Peña para esta história original de Inés Rodena, que foi difícil prever que novamente o público fosse se enganchar. Em 1995, La Dueña foi um grande sucesso e um êxito internacional de vendas. Para completar, a adaptadora Kary Fajer prolongou situações, transformando os 93 capítulos originais em 146. Inclusive, isso provocou uma lentidão na trama. Demorou quase um mês para que Fernando Colunga entrasse na história! De resto, tudo exatamente igual, até o nome da fazenda “Los Cascabeles”.

Apesar da exaustão da trama principal (o sucesso de La Dueña foi tanto que garantiu inúmeras reprises ao longo dos anos), foi compreensível a razão do sucesso. Da trama de Inés Rodena, Maria del Carmen Peña transformou numa história superior, com mais complexidade, mas com elementos para fisgar o telespectador: a mulher romântica e apaixonada que, ao ser traída, se converte em uma mulher dura, quase masculina, e que estremece uma cidadezinha do interior. O novo amor, e os inúmeros inimigos ao redor. No fundo, a Televisa viu a chance de reciclar a história, com um novo elenco (e pese que aqui o elenco foi multiestelar), e com uma plástica mais moderna, para que se vendesse mais e mais. Mas a verdade é que aí se viu um nicho. Logo viriam dezenas de versões de novelas recentes e de sucesso no México. Algumas triunfaram, a maioria decepcionou.

blogVALENDOduenaNo México, a novela teve uma ótima audiência, ainda que não alcançado o mesmo sucesso de La Dueña. Mas foi impressionante a repercussão mundial. Além de ser vendida para mais de 60 países, alcançou resultados bastante expressivos. Um dos lugares onde mais chamou a atenção foi nos Estados Unidos, chegando a liderança no capítulo final. Provavelmente a vendagem tenha sido justamente pela presença de Gabriela Spanic de volta a Televisa, que mesmo como vilã, ainda representa um forte potencial de vendas. Ainda mais, ao lado de astros como Fernando Colunga e Lucero.

Nessa nova novela, a diferença também estava na idade dos protagonistas (mais velhos que na versão de 1995), e na direção, inferior e pautada por alguns exageros, tanto na interpretação de alguns atores, como na violência dada a história. Cenas de sexo e de assassinatos ficaram mais cruas, talvez pelo horário em que a trama foi exibida: 21h. A novela tinha antagonistas muito interessantes: Ivana, uma mulher sexy (pendendo para a vulgaridade – com um figurino totalmente inapropriado), e Rosendo, que era de fato, o vilão mais articulador da novela, e que tinha forte rivalidade com José Miguel, enquanto alimentava uma paixão doentia por Valentina. E ainda a figura de Alonso, que mais tarde retornava tentando reconquistar Valentina – já sem esperança alguma.

blog-soytuduenaCom o elenco de peso, algumas tramas puderam se sobressair mais, já que todos os núcleos eram interessantes e equilibrados. Como a trama dos atores maduros. Como Isabel, que no passado viveu um amor com Federico (Eric del Castillo), pai de José Miguel, e agora casado com a orgulhosa Leonor (Jacqueline Andere), que não aceitava Valentina de jeito nenhum – e estranhamente via em Ivana uma melhor candidata ao amor de seu filho. Era até curioso isso, porque enquanto Valentina – apesar de rude – era rica, Ivana era descaradamente fácil e oferecida, e não era sequer a dona do dinheiro. O amor maduro entre Isabel e Federico não se concretiza, mas a trama entre os dois era muito bonita.

Outra trama paralela importante eram os desencontros amorosos entre os personagens mais jovens. Na primeira etapa, da cidade, já se apresenta que Gabriela (Marisol del Olmo), melhor amiga de Valentina, ama Felipe (Fabián Robles), um médico manipulado por Ivana – e que se transfere para o interior. Horacio (Eduardo Capetillo) era o dono do mercado local, e um cafajeste, se interessava por Ivana, mesmo sendo namorado de Sandra (Cristina Obregón). Após múltiplos conflitos – e a interferência de Enriqueta (Ana Bertha Espín), a mãe de Sandra – os casais acabam trocados. Gabriela se interessa por Horácio, e Felipe e Sandra se acertam.

DUENA-0224445Com tudo já sabido pelo público, a graça era ver como seriam realizadas algumas cenas chaves da novela. Uma delas chamou muito a atenção, num aspecto negativo: a morte de Benita (Ana Martin), a babá de Valentina, assassinada por Ivana, atirada da sacada. O que era pra ser um momento de tensão, ficou engraçado, graças às pernas pro ar que a fizeram despencar varanda abaixo. Outras foram milimetricamente iguais, como o grito “soy la dueña” em meio a chuva, uma das cenas mais marcantes da trama.

O elenco, como já dito, foi em peso de astros consagrados ou em ascensão. Não faltaram críticas a algumas escalações, como Lucero, Gabriela Spanic, Fernando Colunga como jovenzinhos solteiros, ou que Sergio Goyri fosse o verdadeiro pai de Fernando Colunga. Até porque, os personagens contemporâneos ao de Sergio Goyri, acompanhavam a idade do elenco mais jovem, ou seja, Silvia Pinal, Jacqueline Andere ou Eric del Castillo. Também existia o difícil desafio de fugir das comparações do elenco original (que era muito bom, e que estava na idade adequada).

Adela Noriega, Blanca Soto, Alejandra Barros foram algumas das cotadas para ser Valentina, naqueles castings gigantescos e repletos de rumores. A eleita foi Lucero. Ainda que em um primeiro momento, a atriz tenha pesado na dureza de Valentina na fase rural, excessivamente masculina, foi encontrando seu ponto no decorrer da novela. Afinal, Lucero é uma atriz muito competente, e dificilmente perde um papel das mãos.

duenaalonsoFernando Colunga viveu com José Miguel um de seus melhores papéis. Os galãs excessivamente empostados já estavam fora de moda, e o ator encontrou aqui um galã com um tempo diferente, com algum sentido de humor, que rejuvenesceram sua interpretação. Ele e Lucero já haviam sido o casal romântico em Alborada (2005), e inimigos em Mañana es Para Siempre (2008). Era sabido que os dois tinham mais química como rivais que como apaixonados, mas em Soy Tu Dueña, a própria trama (com muitos tapas e beijos roubados) provocou que finalmente o público gostasse dos dois como par romântico.

Gabriela Spanic voltou a Televisa e foi a primeira a ser confirmada no elenco como a vilã Ivana. O visual exagerado e voluptuoso foi marcante, e deu margem a uma das interpretações mais caricatas. Para bem ou para mal, chamou  a atenção, e no duelo de egos, sim houve vezes em que chamou mais a atenção que a própria Lucero. O aplique no cabelo, a maquiagem forte, o excesso de botox podem até ter sido razões para que o público risse, mas Ivana não passou indiferente para ninguém. A volta da atriz deu o que falar: era seu retorno com Fernando Colunga, com quem havia triunfado em La Usurpadora (1998); a atriz protagonizou cenas ardentes ao lado de David Zepeda e Sergio Goyri (algumas inclusive com nudez); a presença de duas estrelas  como Lucero e Gabriela Spanic deu margem a todo tipo de rumor sobre a rivalidade entre as duas, entre outros.

duena02Sergio Goyri como sempre pega o papel de vilão, e por mais que soe repetido, ele se destaca. Aqui não foi diferente. Rosendo Gavilán foi um grande vilão – e uma das melhores interpretações da novela. Forte, rude e impiedoso, tinha o lado humano, o amor por Valentina, e o ressentimento de ter sido desprezado por Leonor no passado. Os momentos finais do vilão foram um argumento diferente do usado no original. Sergio Goyri sabe como ninguém fazer o vilão rural, mas a verdade é que em Duelo de Pasiones (2006) e Mi Pecado (2009), ele havia dado uma cansada. Soy Tu Dueña, talvez pela visibilidade do horário das 21h, foi outro dos grandes trabalhos do ator.

O elenco maduro esteve de alto nível. A começar pela volta de Silvia Pinal após anos sem participar de uma novela completa. Seu último trabalho havia sido uma participação especial em Fuego en la Sangre (2008). Isabel foi um bom personagem. Não era a mera tia, tinha trama própria, seja com as decepções com a filha, seja com o amor do passado com Federico – este aliás, mais um banho de interpretação e sobretudo carisma do primeiro ator Eric del Castillo. É impressionante a capacidade de fazer personagens diferentes e que sempre são simpáticos que o ator tem. Já Jacqueline Andere foi a mais inferior dos três. A atriz errou o tom, e fez de uma mulher que deveria ser amargurada, uma senhora histérica com ares de bruxa sem necessidade. Claro que é uma atriz excelente e ainda houve bons momentos, mas no saldo geral, a atriz exagerou um pouco. Foram notórias as críticas que Jacqueline Andere fez ao excesso de plásticas de Gabriela Spanic – sua companheira de cenas – a uma revista. Deselegante no mínimo. Ana Martin também esteve bem como Benita, ainda que ela e José Carlos Ruiz estavam vivendo os mesmos papéis de sempre.

DUENA-00233Bons trabalhos também tiveram Ana Bertha Espin (ainda que numa subtrama), David Zepeda (dando respaldo para que o ator fosse considerado para viver um protagonista) e Marisol del Olmo. Destaque também para a participação de Claudio Baez como Oscar Ampudia nos primeiros capítulos. Alejandra Procuna saiu do papel de vilã, e ganhou até a simpatia do público, ainda que sua participação na novela tenha sido curta. Ernesto Galeano, o administrador de Valentina e apaixonado por Isabel, viria a ser o último papel do primeiro ator Julio Alemán em telenovelas. O ator faleceu em 2012 vítima de câncer no pulmão. Infelizmente um papel mais fraco – o forte do ator eram os vilões.

A novela ainda revelou o talento de Paul Stanley e Fátima Torre. Paul era relativamente novato, mas Fátima Torre havia sido atriz infantil, e nunca havia parado de atuar, mas era a primeira de vez onde, de fato, ela se destacava numa novela. Foi Iluminada, a empregada de Valentina na fazenda, perseguida por Rosendo Gavilán até o ponto de ser estuprada pelo mesmo. A cena onde ela admite esse estupro foi muito forte e teve um alto desempenho tanto dela, como de Ana Martin em cena.

duena01Um escândalo aconteceu nos bastidores da trama. Em agosto um escândalo explodiu na imprensa mexicana. Gabriela Spanic, sua mãe, seu filho e sua empregada teriam sido envenenados por sua assistente, Maria Celeste Fernández. Celeste negou tudo e chegou até a acusar a mãe de Gabriela, mas foi presa. A imprensa mexicana chegou a acusar Spanic de estar forjando tudo para ter publicidade, e depois, quando a atriz posou nua para uma revista masculina, a desconfiança aumentou. Para piorar a situação, a atriz Carmen Salinas, que nada tinha a ver com a história, contratou os melhores advogados para defender Maria Celeste, alegando que era tudo uma invenção de Spanic. Após falta de provas, ela foi julgada inocente. Declarada homossexual, ainda acusou Gabriela Spanic de tê-la assediado sexualmente, e relatou que a patroa sentia um ciúme doentio de Lucero por ela ser a protagonista da novela.

O tema musical “Golondrinas Viajareras”, interpretado por Joan Sebastian e Lucero funcionava para a novela, mas não se comparava ao tema de La Dueña – aliás, nem o tema, nem a trilha incidental. Até que surgiu um tema romântico para Valentina, “Dueña de Tu Amor”, cantado por Lucero, que caiu nas graças do público e marcou a novela. A variedade de externas valorizaram a novela, ainda que, uma característica de Nicandro, umas janelas de chroma-key poderiam ter sido evitadas.

Soy Tu Dueña foi uma novela que deu certo. Havia uma boa história, um espetacular elenco, intriga, suspense e romance – faltou mesmo uma novidade, ainda mais no horário das 21h.

Confira um vídeo com o elenco da novela! Inscreva-se no Canal do Youtube!

26 comentários sobre “[2010] Soy Tu Dueña

  1. Diogo

    essa novela considero um marco da leva de remakes precipitados e muito recentes que a Televisa começou…Algumas foram bem (como essa, Abismo de Pasion), mas a maioria foi mal (Triunfo del Amor, Lo Imperdonable…)

    Ela supera La Dueña em algo: na quantidade de astros no elenco…La Dueña tinha um elenco que foi ótimo…mas nao eram estrelas de primeira grandeza na emissora

    porém, ao meu ver…o produtor errou ao colocar atores tao velhos pra esses papéis…e isso atingiu todos: lucero era uma mulher mto madura para ficar tão ferida assim, Gabriela spanic mto velha pra ser tao periguete…eduardo Capetillo se comportava como adolescente…e por aí vai…mas levando em conta que ele queria esse elenco….achei um erro a novela não ser protagonizada por Gabriela Spanic…não que a Lucero tenha feito mal o papel, inclusive como atriz é muito superior…mas repetir o casal spanic – colunga teria sido um acerto…levaria muitos fãs do mundo todo à loucura

    de resto, foi uma adaptação super fiel…oq é uma benção e maldição ao mesmo tempo…Não vão inventar moda e colocar maluquices…mas também não gera curiosidade nenhuma saber o que vai acontecer (no caso de quem viu a original)

    achei que Sergio Goyri foi o melhor do elenco…mesmo no seu papel de sempre…o problema é que vc não consegue acreditar que ele namorou a Jacqueline Andere no passado…muito menos que é pai do Fernando Colunga!!!

    Gabriela Spanic…exagerada? bastante….mas divertiu!

  2. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Eu lembro que no começo do projeto, falaram que a novela ia ser uma adaptação da trama original… Já que a versão da Maria del Carmen Peña foi o que estabeleceu muitas coisas pra trama… Aí depois vieram com uma conversa que, como estava muito em cima, usariam a versão de La dueña… que preguiça é essa? Já tinha uma trama original, bastava criar em cima, de qualquer forma não estariam partindo do zero… A confirmação veio quando já nos promos citava a parte onde a Valentina vai presa por ter supostamente matado o Federico… Ou seja, o promo anuncia algo que acontece bem mais pra frente na novela!

    Além dos remakes RECENTES são remakes de histórias JÁ FEITAS NO MÉXICO… Soy Tu Dueña e Abismo de Pasión são as que foram BEM fiéis e triunfaram QUASE no mesmo nível das originais…. Cuando Me Enamoro e La Que No Podia Amar as que modificaram muitas coisas, foram bem, mas não se igualaram ao êxito das originais… Lo Que La Vida Me Robó a que mudou MUITAS MUITAS coisas e fez sucesso, embora não supere Amor Real… e as do Salvador Mejía: Triunfo del Amor, Corazón Salvaje e agora Lo Imperdonable que são as MEGA fracassadas e além disso, muito ruins…. Fora outras, Que Te Perdone Dios, La Sombra del Pasado… Tá saturado!

  3. Gabriel ferreira

    Eu sempre acho a Gabriela spanic muito exagerada e caricata em sua atuação como Paola ou Ivana sempre com figurinos marcantes ela sempre chama a atenção com suas maldades.
    Não vejo a hora da novela estrear, pena que vai ter muitos cortes mas concerteza será um sucesso. Mas Vc já tinha posto essa resenha e agora colocou de novo né? Vem aí A Dona no sbt

  4. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Sim Gabriel, acontece que foi uma das primeiras que pus no site, então tinha outro formato e bem menos informações! Achei que valia a pena atualizar, já que a novela vai estrear, e seria legal traçar um perfil mais completo da novela!

  5. Lucas

    Nossa, adorei que você tenha atualizado essa coluna, Thiago. Eu fiquei simplesmente por fora dos babados dos bastidores (salvo o escândalo do envenenamento sofrido pela Botoxnic). Eu tinha total implicância com Soy Tu Dueña por ser um remake de algo recente e famoso. Mal sabia eu que seria o primeiro de muitos…
    Acredito que fará sucesso aqui, mas nada que supere uma Usurpadora da vida. Quanto a Spanic ser vilã, achei totalmente acertado. Ela jamais colaria de Valentina com a forma física em que se encontrava nessa época, sem falar que, com tantos escândalos na vida pessoal, dificilmente uma atriz ganha papel de protagonista na Televisa.

  6. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Não sei Lucas, eu admiro o trabalho da Lucero e particularmente acho uma atriz muito superior a Gabriela Spanic, mas nada nega a popularidade dela!
    Ela tem se caracterizado por sair dos papéis de mulher frágil e vivido personagens mais fortes e/ou vilãs… Mas veja, quando você fala que NÃO VÊ Gabriela Spanic sendo a Valentina, eu acredito que sim vejo, até porque o papel tem algumas semelhanças com o que ela fez em Tierra de Pasiones, em 2006, na Telemundo, de mulher durona, do campo.

    Mas… Sempre acho que as novelas são pra quem acabaram sendo. E a Lucero saiu-se bem, e a Spanic também, como Ivana. Também acho que a novela tem potencial pra ir bem aqui, pese um pouco de lentidão, sobretudo na fase menos interessante ao meu ver que é a parte da cidade, antes da fazenda entrar em cena.

  7. Nanda

    Mais uma resenha incrível Tiago, então eu já tinha lido sobre soy tu dona e sempre tive vontade de assistir, então ainda bem o sbt vai passar por sorte … vai parar de reprisar a ususpadora e colocar latinas inéditas pelo menos ak pq ela já foi reprisada até durante o dia no México, espero q realmente seja um prato cheio para os noveleiros

  8. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Nanda, eu também acho que é uma novela com fortes elementos de sucesso… E mais do que os atores famosos que a novela tem, a história é muito boa…Se dependesse só de elenco pra uma novela ir bem… Pq exibiriam “Mil e uma Noites” na Band?

  9. Nanda

    Realmente oq faz uma novela ir bem seria um conjunto de motivos coko eu já disse, elenco em sincronia, bom roteiro, boa direção, e uma história bem trilhada até com reviravoltas surpreendentes. ..

  10. Matheus

    Thiago você fala espanhol ?
    O que você acha da rivalidade entre as novelas brasileiras e mexicanas?
    Eu acho que se fosse a gaby que fizesse o papel principal teria semelhanças com Tierra de Pasiones minha novela favorita da Telemundo.

  11. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Oi Matheus, falo espanhol sim.
    Sobre a rivalidade, acho que ela existia há um tempo atrás. São propostas diferentes. Acho que o principal é que no Brasil, o principal mercado é o próprio brasileiro – e talvez por isso elas tenham dificuldades de serem exibidas em muitos países. Avenida Brasil ou Amor à Vida são casos excepcionais, e justamente tinham como base uma história BEM clássica. Já no México, as novelas são feitas visando o mercado internacional no mesmo peso que o local, daí a facilidade de vendê-las e etc.
    Sobre Gabriela Spanic vivendo Valentina, também acho que seria uma boa escolha, como Lucero. A crítica em relação a idade da personagem continuaria. Sobre a similaridade da personagem com Tierra de Pasiones, não seria a primeira vez que a Gabriela Spanic repete tipos, vide La Intrusa e La Usurpadora.

  12. r

    Uma ótima novela! Estou assistindo pelo SBT.mas porque VC não fala das novelas brasileira?

  13. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Ah, não falo de novelas brasileiras porque acho que já existe muito espaço pra análise delas em outros veículos, na internet, revistas, jornais, e quase nenhum pra novela mexicana. E mais, quando falam de novela mexicana, é generalizando, tratando todas as novelas como a mesma coisa, e como se fossem produtos menores.

  14. samara batista de oliveira

    adorando a lucero ta fazendo um papel maravilhoso cm colunga combinaram e essa novela ta muito boa

  15. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Que bom que está gostando da novela, Samara! É legal ver uma novela inédita caindo no gosto do público aqui!

  16. Virgínia Benassi

    eu não assisti a primeira versão por esse motivo não posso julgar, Soy tu duena me encantou, não tive paciência de assistir no SBT porque demora muito e assisti via Youtube, também acho que quando dublam a novela perdem muito da emoção da cena….por mais que os dubladores sejam bons, não se compara ao áudio original. Realmente os atores são um pouco maduros para os papeis mais como são excelente atores tudo ficou muito bem feito…

  17. Joyce

    Fernando Comunga e Eduardo Capetillo. Santo Deus, cadê essa novela no Brasil?

  18. Joyce

    Ahhhh agora que vi, que passa no SBT! Já tinha visto, mas não pensei que fosse a mesma. Depois da sua resenha, assisti hoje e continuarei assistindo

  19. Ely

    Estou assistindo A dona, mas faço a loucura de vê-la na TV, com fone para ouvir o áudio original. Prefiro!!!
    Gosto da trama (não conheço as que subsidiaram a novela) e confesso que o casal Valentina/José Miguel tem uma química que me encanta. Adorooooooo a cenas românticas que eles protagonizam…
    Não vejo problemas nas idades, porque as histórias de vidas dos protagonistas justificam seus comportamentos (como JM diz a Valentina em uma cena: ambos sofreram demais antes).
    Até no excesso de Valentina renunciar o amor de JM por causa da gravidez de Ivana, a trama acertou, porque de vez em quando acontecia uns encontros e bem legais…
    O casamento é outro ponto “lindo” da novela: A declaração antes da cerimônia… A canção no meio… A ida para a cabana na “canária” (camionete de JM).
    Enfim, talvez seja uma visão reducionista da trama, mas estou curtindo…

  20. JOANA

    Não concordo com vc quando diz que a Lucero pesou na dureza do personagem no início da fase rural ,o personagem pedia isso, senão perderia todo sentido o apelido de víbora .essa parte onde o personagem se mostra dura é a fase da novela que mais gosto!
    Ao meu ver a Lucero ficou perfeita no papel da Valentina o que vale é o talento e não a idade de cada um, mesmo porque, na época os atores estavam super bem fisicamente apresentando no mínimo dez anos de idade a menos .o talento e a qualidade interpretativa dos atores ultrapassam o requisito idade. Quando vejo as cenas da Valentina fico impressionada com tanto talento!

  21. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Não Ely… Acho que o roteiro é condizente ao justificar um passado com sofrimento amoroso nos protagonistas. Mas, em outros casos, ex: no começo da novela, Valentina já aparenta ter mais de 30 anos e tem uma postura muito ingênua com o que acontece a seu redor.

  22. igor

    Nunca devemos subestimar qualquer profissional que seja.Mas devo confessar que não imagino Adela Noriega na pele de Valentina.Não sei se é por que Adela sempre fez os mesmos papéis durante sua carreira( moças doces e angelicais) ou se é por que ela não tem mesmo perfil para o papel.

  23. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Igor, discordo de você. Em El Manantial, por mais que chorasse muito, Adela fez de Alfonsina uma protagonista forte, que não era só vítima das situações.

  24. Ely

    Thiago, esse esclarecimento é importante, porque não vi o início da novela. Na realidade, comecei a vê- lá depois do capítulo 35 ou 40, esporadicamente, quando percebi que a trama era interessante. A atuação de Lucero me chamou a atenção nesse ponto da trama. Depois, notei que o Colunga era o mesmo da Usurpadora (muito melhor, em termos fisico e atuação) e que os dois – Lucero e Colunga – tinham uma química invejável.
    Com isso, resolvi assistir a partir do capítulo 20 na versão original para conseguir as cenas sem cortes e, com base nisso, achei incrível a trama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *