[1988] Dulce Desafío

Uma novela com a cara e o frescor da adolescência nos anos 80, Dulce Desafío foi um sucesso que consolidou o gênero da novela juvenil e a carreira de Adela Noriega e Eduardo Yañez.

A trama, original de Jorge Patiño, conta a história da rebelde Lucero Sandoval (Adela Noriega), uma jovem rica, cujo único interesse é correr como esporte. Lucero é filha de Santiago Sandoval (Enrique Lizalde), um homem viúvo, rígido e autoritário, mas bondoso. Ele decide se casar com uma mulher bela e jovem, Rosário (Olivia Collins), despertando a oposição de Lucero. Lucero é interna no “Instituto Casa de Piedra”, lugar voltado a receber garotas problemáticas e que já foram expulsas das escolas comuns. O diretor da escola, Luis Mancera (Sergio Kleiner) é um homem corrupto e intransigente, com quem Lucero e suas companheiras têm inúmeros conflitos. Por essa razão, a escola decide contratar o psicólogo Enrique Toledo (Eduardo Yañez). Ele irá se aproximar das jovens, ajudando-as a lidar com seus conflitos, mas nenhuma ligação será tão forte quanto com Lucero, despertando um intenso e verdadeiro amor.

dulce03As novelas juvenis ainda engatinhavam quando Dulce Desafío foi ao ar, 1988. As experiências até então incluíam Pobre Juventud (1986) e Quinceañera (1987) – esta última, um verdadeiro fenômeno. Num território ainda experimental, a atriz Julissa aventurou-se na produção de uma novela. Escolheu uma trama original, pensada e adaptada por Jorge Patiño, que tinha como cenário principal uma imponente escola só para meninas. Era oportunidade de transformar em novela alguns filmes emblemáticos sobre a vida escolar nos anos 80. Alguns deles tinham o mesmo espírito de Dulce Desafío: o cenário da escola rígida, o conflito de gerações nas turbulentas relações entre pais e filhos, e a eterna disputa ideológica entre o diretor da escola opressor e o psicólogo recém-chegado, que, além de jovem, traz ideias libertárias às adolescentes.

Dulce Desafío tinha a seu favor já ser uma novela com uma carga dramática bem menor que a de Quinceañera. Era mais leve, mais fresca. A presença do elenco adulto, porém, era fundamental. Santiago, pai de Lucero, é um homem rígido, empresário, mas não um carrasco. Ainda assim, vive em conflito com as filhas, Lucero e Beatriz (Ana Urquidi) – mais velha, e que também quer ser independente. Santiago está para se casar com Rosário, a quem as garotas enxergam como uma oportunista. Sua única aliada é a avó, Esther (Beatriz Aguirre) que, assim como as garotas, vê com maus olhos Rosário, a nova noiva do pai, e sua família, um bando de aproveitadores: sua mãe, Raquel (Lilia Prado) e seu irmão Joel (Jorge Antolin) – que vai seduzir Beatriz por interesse. Resulta que Rosário não é tão má, mas esconde um segredo: esteve casada com um mau caráter que agora a chantageia. Refugio (Manuel Benitez) descobre casualmente que Rosário está casada com Santiago e passa a persegui-la por um bom tempo.

dulce02Mas é no âmbito da escola que se desenrola a maior parte da trama. Luis Mancera abusa de seu poder como diretor e tem como aliado o professor de educação física, Ernesto Quiroz (Alberto Estrella). Ambos vêem com maus olhos a chegada de Enrique Toledo justamente porque ele representa uma ruptura do modelo de repressão que as adolescentes vinham sofrendo. Com ideias novas, o psicólogo passa a interagir com todas as estudantes, e em especial, com Lucero.

Os obstáculos amorosos para Lucero e Enrique não são poucos. O principal é a própria condição de psicólogo e aluno. Ok, hoje em dia, tudo isso seria considerado extremamente antiético. Não só ele era psicólogo dela, como ela era aluna da escola em que trabalhava. Mas em novela, tudo pode. E a graça estava justamente na dificuldade que Lucero tinha para confiar em Enrique, criando confusão, sendo rebelde e respondona o tempo inteiro. Além disso, Lucero tem um pretendente, Boto (Juan Carlos Bonet), rapaz bobo que come na mão dela. Já Enrique tem uma namorada, Malena (Mercedes Olea) – uma mulher chata e pegajosa, e que além disso, é bastante feia (mas isso não era um critério do roteiro, a atriz que era feia mesmo).

As tramas das outras meninas e seus pais também fazem parte da novela. A maior rival de Lucero na escola é a arrogante Rebeca (Chantal Andere). Ela odeia Lucero e as duas constantemente entram em conflito, e chegam a se engalfinhar diversas vezes. Rebeca pratica bullying contra Marcela (Ginny Hoffman), seu pau-mandado, e que morre de medo do avô, um militar bastante severo. A situação ficava ainda mais tensa quando Rebeca roubava o diário de Marcela e passava a chantageá-la. Já entre as amigas de Lucero, as principais são Mirta (Ana Patricia Rojo), uma jovem humilde cuja mãe tem um relacionamento com um homem casado; Ângela (Katia del Rio), que sofre por ser filha de uma mulher religiosa e conservadora; Silvia (Angélica Garcia), uma garota triste pelo divórcio dos pais, e que fica ainda mais amargurada após sofrer um acidente que a deixa manca.

dulce01A novela alterna sabiamente os momentos de drama, romance e humor. Na realidade, o momento mais dramático que a novela apresenta é quando, por volta da metade da novela, a irmã de Lucero é diagnosticada com um câncer terminal e ignora o fato. Santiago passa a aceitar o romance de Beatriz com Joel, e pede a Enrique que se aproxime de Lucero para que ela aceite melhor a morte da irmã. E assim, Santiago dá um empurrãozinho para que Lucero finalmente aceite se abrir com Enrique.

Já os núcleos de humor envolviam os adolescentes e seus romances – todos bastante inocentes para a época. Ou ainda as lendas de que na escola há fantasmas, que rende momentos divertidos para a novela. Há ainda uma trama mais ousada. Federico (Juan Carlos Serrán), sócio de Santiago, se apaixona por Refugio (Julieta Egurrola), a mãe fanática religiosa de Ângela, mas se aproxima dela fazendo-se passar por um padre!

O ambiente escolar foi um dos grandes motes da novela. As rivalidades entre Enrique e Enresto – que chegam a se resolver em uma luta de boxe improvisada. As artimanhas do diretor Mancera para derrubar Enrique – que a essa altura, já conta com o apoio de todas as meninas do colégio, entre outros. Outro tema bastante explorado eram as corridas. Lucero é praticamente nata das corridas e assim que extravasa seus problemas. Com o tempo, ela se envolve com outros atletas e na equipe de corrida de Pepe (Raul Buenfil).

dulce04Como toda novela dos anos 80, o ritmo é mais lento, e o esperado primeiro beijo entre Lucero e Enrique vai se dar já com a novela bastante adiantada. Até lá, há uma expectativa constante de que isso aconteça – o que convenhamos, até aproxima mais a novela da realidade, já que mesmo na trama, era um romance proibido e que devia ficar escondido. E finalmente quando eles querem admitir o romance entre eles, a agora ex-noiva de Enrique surge inventando uma gravidez. A decepção leva Lucero a aceitar o pedido de casamento de Boto. No marcante último capítulo, as meninas descobrem que a gravidez de Malena é inventada e correm para avisar Enrique. Só que, a essa altura, Lucero já está rumo ao altar para se casar com Boto. Enrique pega sua moto e corre até a igreja. Lucero deixa Boto em pleno altar e foge na moto de Enrique. A cena é uma das mais memoráveis da novela. A gravação da cena foi bastante tumultuada, pois reunia uma enorme quantidade de figurantes. Relatou-se inclusive, que o carro da atriz Chantal Andere, que fazia a vilãzinha Rebeca, sofreu com a ação das pessoas, que confundiram realidade com ficção.

Apesar do tema de abertura ser instrumental e bastante estranho, foi a trilha sonora ao longo dos capítulos o que chamou a atenção. Recheada de sucessos dos anos 80, destacaram-se sobretudo as cantadas pelo grupo juvenil Timbiriche, uma febre naquele momento. “Tu y Yo Somos uno Mismo” marcou a história de amor de Lucero e Enrique. Além deles, até Bonnie Tyler e Billy Idol foram executados durante a novela.

Até hoje não ficou muito bem explicada a razão da saída da produtora Julissa da chefia da novela. Por volta do capítulo 30, quem assumiu a produção executiva da novela foi Eugenio Cobo – ficando durante sua maior parte (a novela teve 100 capítulos de uma hora). Desde sempre, Eugenio Cobo foi diretor do CEA – o centro onde a Televisa prepara seus atores. E em Dulce Desafío muitos atores jovens tiveram uma carreira de sucesso. Dulce Desafío foi o maior sucesso da carreira de Eugenio como produtor. Nos últimos capítulos, a novela superava todas da barra em audiência e repercussão.

dulce06O elenco muito bem escalado foi parte da razão do sucesso. Adela Noriega confirmou seu lugar como estrela juvenil do momento. Aqui, por primeira e única vez, sua imagem foi atrelada como a de uma jovem sexy e atrevida. Seus demais papéis sempre foram de uma mulher ingênua. Lucero era atrevida, rebelde, corajosa e a atriz novamente mereceu todo o reconhecimento que conseguiu. Ao seu lado, Eduardo Yáñez que, assim como Adela, tinha aqui sua segunda novela como protagonista, e reafirmava seu talento e capacidade para encabeçar um elenco. Eduardo virou o galã do momento. E não era apenas bonito (ao menos no biótipo da época), como era talentoso. A marca indefectível eram as cenas onde Enrique Toledo aparecia em sua inseparável moto. Detalhe: é público o fato de que o dublê de Enrique nas cenas de moto era um ator que viria a ser um grande astro nos anos 90… Fernando Colunga.

O par formado por Adela Noriega e Eduardo Yánez fez tanto sucesso que os rumores sobre um relacionamento entre os dois chamaram muito a atenção da imprensa e do público. Tanto Adela quanto Yánez estiveram ausentes da Televisa em boa parte dos anos 90. Depois de Dulce Desafío, Adela recusou o papel central de Al Filo de la Muerte (1991), o que causou seu desligamento da emissora, pra onde só retornaria com Maria Isabel (1997). Já Eduardo Yáñez tentou a carreira nos Estados Unidos, logo após o final de En Carne Propia (1991). Aventurou-se em alguns filmes pequenos, com papéis de latino, e voltou a trabalhar na Televisa somente em 2006, na novela La Verdad Oculta. Adela Noriega e Eduardo Yáñez tinham a química ideal dentro da tela. Tanto que voltaram a interpretar o par romântico de uma novela em duas ocasiões. Em 1994, em Miami, gravando a novela Guadalupe. E em 2008, novamente no México, em Fuego en la Sangre.

dulce07O rígido Enrique Lizalde teve aqui um de seus personagens clássicos de pai autoritário, e que não chega a ser vilão. Santiago caiu no gosto do público. E as pessoas torciam por seu romance com Rosário. O ator saiu-se muito bem. Foi uma presença marcante na novela. Aqui, ser “o pai da protagonista” não era um papel ruim e obrigatório, mas que não necessariamente é importante. Santiago era fundamental no desenrolar da história.

O mesmo pode se dizer de outros primeiros atores. Sergio Klainer como o malvado Mancera, Beatriz Aguirre como Esther, a avó que tinha temperamento forte. Julieta Egurrola, que embora não tivesse um papel tão bom quanto em Quinceañera, não passou batida. E ainda, há de se destacar a presença de Olivia Collins, uma mulher bastante bela na época, e que fez Rosário com muita verdade. Ana Urquidi, que viveu Beatriz, virou diretora de novelas, abandonando a carreira de atriz. Fez bem, como atriz era muito inexpressiva.

O elenco juvenil foi com certeza um dos mais promissores reunidos. Em sua maioria lançamentos, Dulce Desafío reuniu muitos nomes que viriam a ter uma trajetória importante no mundo das novelas. Chantal Andere, Ana Patricia Rojo, Angélica Rivera, Juan Carlos Bonet, Armando Araiza, e ainda, atores que tiveram uma trajetória curta nas novelas, mas que fizeram sucesso durante um tempo, como Katia del Rio e Angélica Ruvacalba.

dulce08A grande revelação foi mesmo Chantal Andere. Ainda com aparelho nos dentes, Chantal já fazia aqui o papel de vilã. É bem verdade que as oportunidades surgiram por ser filha da primeira atriz Jacqueline Andere, mas Chantal fez por merecer. O interessante aqui é que a atriz ainda não carregava nenhum vício das interpretações de vilãs seguintes. Ana Patricia Rojo, que já havia feito alguns trabalhos, era importante na trama. Já Angélica Rivera tinha poucas falas, mas era uma presença constante quando se reunia o grupo de amigas.

Grande mérito da presença do diretor Arturo Ripstein, um dos mais significativos diretores de cinema no México, e que fez aqui uma das poucas contribuições em telenovelas. Da produção, dois pontos merecem ênfase: a incrível locação da escola, um cenário ímpar, que fazia parte até da abertura da novela, e que, assim como na novela, carregou a fama de ser mal-assombrado. E um, um pouco tosco, foi a falta de real técnica nas cenas de corrida.

Em 2000, a Televisa produziu uma nova versão dessa história, Locura de Amor. Nessa novela, os protagonistas foram vividos por Adriana Nieto e Juan Soler. O fato mais lembrado da trama, que fez muito sucesso e chegou aos primeiros lugares de audiência, é a saída de Adriana Nieto na reta final, sendo substituída por Irán Castillo. Muitas diferenças em relação a trama original aconteceram. Rebeca (agora Laisha Wilkins) era ainda mais malvada, chegando a atos criminosos, e seu parceiro (vivido por Raul Araiza, no que correspondia ao Joel de Dulce Desafio) eram amantes e morriam no final. O diretor Mancera agora virou uma mulher bem perversa, vivida por Rosa Maria Bianchi. E Rosário, que na versão dos anos 80 era boa, em 2000 sim era interesseira e ambiciosa. Alejandra Barros vivia a irmã da protagonista, que também morria doente antes do final da novela. Um fato curioso: Beatriz Aguirre vivia a mesma personagem que em Dulce Desafío, a avó da protagonista. Desta vez, a paixão pelas corridas foi substituída pela paixão pela dança.

dulce05Em 2014, a novela foi reapresentada mais uma vez pelo canal TLNovelas, que retransmite várias vezes as novelas da Televisa via cabo. Mas, após 6 capítulos, foi substituída por outra novela sem maiores explicações. Atribuiu-se o episódio à presença de Angélica Rivera (atual primeira-dama do México) na novela. Comentários na internet alegam que existe um acordo para que não se exiba nenhuma novela com ela.

Um grande sucesso dos anos 80, Dulce Desafío foi uma novela de êxito arrebatador para sua época, e que levou consigo uma memória afetiva e nostálgica da produção de telenovelas daquele momento.

Confira abaixo um vídeo com o elenco da novela! Inscreva-se no Canal do YouTube!

10 comentários sobre “[1988] Dulce Desafío

  1. Matheus

    Essa novela deve ser muito interessante, gosto de novelas que se passam em internatos, me lembra o filme ”Hasta el Viento Tiene Miedo”, pelo que eu vejo muitos atores da Televisa já produziram novelas na casa pena que a Julissa largou a produção porque muitos atores que produziram novelas foram marcados pelo fracasso e ela poderia quebrar esse estigma.

  2. João Vitor N. Mendes

    Enfim as resenhas voltaram! Hahaha
    Definitivamente é uma de minhas novelas favoritas, acho a história bem realista e muito bem elaborada. Vale lembrar que o Eduardo Yañez sabia pilotar motos, mas anos antes da novela sofreu um acidente, e provavelmente ficou com certo “trauma”! Sobre o elenco, não tenho nada a reclamar de nenhum, só que achei o Alberto Estrella um tanto exagerado, acho isso sempre dele, mas aqui foi mais! Acho o casal Adela e Yañez um dos melhores que já existiu, a quimica deles é impressionante, e (pelo menos eu) vi diferença nos três casais que fizeram, e não me refiro somente a história, parece que era um casal novo em cada novela. Concordo que o cenário do colegio era fantastico, alias, seria um belo local para ser o “Gran Hotel”! Eu tbm curti bastante Locura De Amor, apesar de não ser tão fiel, mas acabei perdendo o interesse com a entrada da Iran! Òtima resenha, ficarei esperando pela próxima!!!!!!!

  3. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    De fato Matheus, muitos produtores que fizeram novelas do outro lado das câmeras fracassaram. Rebecca Jones e Alejandro Camacho, por exemplo, fracassaram com Huracán. E como disse na coluna, é misteriosa a saída dela. Já vi depoimentos do Eugenio Cobo sobre a novela, e ele só cita a substituição, mas em nenhum momento falou o motivo em si.

  4. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Dulce Desafío não chega a ser uma novela vanguardista como Quinceañera, mas foi um exemplo legal de novela juvenil que não se prenda num drama pesado (como o suposto estupro de Quinceañera). Eu também concordo com você, João Vitor, Adela Noriega e Eduardo Yáñez são dos melhores casais que já existiram, e o legal é que ao invés de repetir consecutivamente como alguns casos, eles deram o ar da graça juntos em momentos bem diferentes, 1988, 1994 e 2008!

  5. Igor

    Thiago,faz uma resenha de “Mañana es para siempre”,essa novela foi muito boa.

  6. Lucas

    Eu vi essa novela em DVD e gostei muito. O ritmo é um pouco diferente do que estamos acostumados, mas a história é muito gostosa. Apesar de anti-ético, um romance assim de fato poderia acontecer, e os escritores conduziram tudo muito bem, de forma não escadalosa. Gostaria de ver Locura de Amor também, mas acho meio impossível lançarem compacto dela um dia né, hehehehe. Eu gosto do tema instrumental, apesar de lembrar muito os filmes de terror da época. O elenco seria redundância elogiar. Adela sempre foi Adela! E o que dizer da cena final? Memorável. Lembra um pouco o final de das duas versões de Paraíso.
    Enfim, mais um novela que eu recomendo.

  7. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Sobre o lance da relação professor X aluna, Lucas, uma coisa que me parece curiosa é a maneira como isso é resolvido na novela. Existe uma grande preocupação tanto do Enrique quanto da Lucero de manterem a relação em segredo… Quando finalmente ela é revelada, seja pro diretor, ou pro pai da Lucero, nenhuma consequencia acontece! rsrs Tudo é resolvido da maneira menos dramática possível!

  8. Leonardo

    Thiago, faz uma sobre Simplemente María de 1988/89, amo essa novela e vai estrear no México esse mês uma nova versão! Desde já obrigado

  9. Diogo

    quem escolheu o elenco dessa novela..teve bom olho…muitas se tornaram grandes estrelas: Ana Patricia Rojo, Angélica Rivera, Chantal Andere …ok, duas eram filhas de atores já famosos

    não vou comentar Adela, pq já tinha Quinceañera e Yesenia como protagonista…

    realmente o casal é ótimo…mas hoje em dia, seria uma imoralidade total! eu vi a novela em DVD e tem uma parte que não entendi muito bem….a Chantal faz chantagem com uma colega pq descobriu um grande segredo ao ler o diário dela…que segredo era? ou era apenas pelo fato dela estar com o diário em seu poder?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *