[1994] Marimar

O ano era 1994, e Valentim Pimstein passou o bastão a sua filha, Veronica Pimstein, para dar continuidade a Trilogia das Marias, trazendo Thalía novamente para um sucesso retumbante, desta vez, com Marimar.

Na história, Marimar (Thalía) é uma jovem pobre e ignorante, que vive a beira-mar com seus avós – muito doentes – enquanto luta para sobreviver. Um dia, decide ir roubar na fazenda Santibañez, quando é flagrada pelo capataz, que tenta abusar dela. Defendida por Sergio (Eduardo Capetillo), filho do dono da fazenda, Marimar se apaixona perdidamente. Inconformado com a vida que leva na fazenda, e disposto a se vingar do pai Renato (Alfonso Iturralde), Sérgio ilude Marimar e se casa com ela. Marimar ganha o ódio de Angélica (Chantal Andere), a madrasta de Sérgio, que fará de tudo para destruir Marimar. Depois de inúmeras humilhações, Marimar descobre sua origem, e dá a volta por cima, convertendo-se em Bella Aldama, uma poderosa empresária, disposta a se vingar de todos os que a prejudicaram, a começar por Sérgio.

foto-marimar02O mote da história, original de Inés Rodena e adaptada por Carlos Romero, é extremamente simples, e daí seu sucesso. Bastante criticada pela irrealidade da trama, a verdade é que Marimar foi sucesso absoluto desde o primeiro capítulo, chegando ao seu auge na fase onde ela se converte em Bella Aldama.

Apesar de produzida por Veronica Pimstein, a mão firme ainda era a de Valentin Pimstein. Os elementos para o sucesso eram muitos: Marimar, mesmo pura e ingênua, esbanjava sensualidade, até mesmo vestida com trapos, seu parceiro de aventuras era o cão “Pulguento” (que proferia pensamentos, e virou uma das marcas registradas da novela), o galã Sérgio com seu figurino inesquecível, as maldades de Angélica, os figurinos extravagantes de Bella Aldama, de Brenda (Frances Onvidiela, a la Mortícia, da Família Adams)… Tudo tão encantadoramente cafona, que o sucesso era a única consequência possível.

MARIMAr-angelicaThalía ganhava aqui a confirmação que seu lugar nas telenovelas era o de uma rainha. Seu carisma impressionante tornaram sua Marimar real, mesmo com uma trama irreal. A pobreza de Marimar era tanta que ela sequer conhecia água quente, calçados, etc. A fase de vilanias de Bella Aldama confirmaram o poder de Thalía de comandar uma legião de fãs. No capítulo mais aguardado da novela, Marimar faz Angélica tirar as promissórias do lodo com a boca, exatamente como havia sido humilhada tempos atrás. A vingança bateu todos os recordes de audiência, e fez o público vibrar.

Thalía contou recentemente da dificuldade de atuar com o cachorro que fazia “Pulguento”, e que, as vezes, era preciso que ela colocasse um pedaço de salsicha acima da cabeça para que o cão ficasse prestando atenção nela.

foto-marimar05

É bem verdade que o forte das novelas rosas são as atuações caricatas. Portanto, Eduardo Capetillo – que nunca foi bom ator – tinha o benefício de ser um galã bem famoso na época. Chantal Andere começava a trilhar um caminho como vilã (do qual nunca sairia). É uma vilã marcante das novelas, mas que da metade da novela em diante, começa a aparecer mais como vítima. A novela ainda contou com a presença dos atores Tito Guízar (astro do cinema antigo mexicano, que estreava em novelas) e Ada Carrasco (que faleceu em seguida a gravar a morte da sua personagem), como os avós de Marimar.

Na Trilogia das Marias, essa é a novela onde mais a trama gira exclusivamente em torno da protagonista. Poucas subtramas, quase nenhum destaque, contribuem para que a novela dê voltas e voltas pelos conflitos de Marimar.

foto-marimar04

Foi durante essa novela que o noivo da cantora na época, Alfredo Díaz Ordaz, faleceu. Isso gerou um período de luto para Thalía. A novela só não durou mais, pois dizem que a agenda apertada de Thalía gerou inúmeros contratempos. É por isso que a novela acaba “abruptamente”, logo quando Marimar deixa o Vale Encantado, e conhece o engenheiro Adrian Rosales (Fernando Colunga). A novela não dura mais 10 capítulos, mas a realidade é que havia sido planejado mais alguns meses de novela.

O tema de abertura foi muito marcante, mais um sucesso retumbante. A abertura, uma das mais inesquecíveis, com Marimar vestida de sereia nas rochas da praia.

foto-marimar06

A novela tem inúmeras situações similares com Rosa Salvaje, apesar de ambas serem escritas por Inés Rodena e adaptadas por Carlos Romero. Marimar não era um remake de Rosa Salvaje, mas sim de La Venganza, de 1977, com Helena Rojo. Algumas semelhanças com Rosa: a protagonista – 100% ignorante – traja uma roupa ridícula, e é induzida pela vilã a agredir uma moça que dá em cima do seu marido, ou o próprio casamento “para afrontar a família”, e até a vingança na lama, lembrava uma vingança com Dulcina (Laura Zapata) sendo obrigada a se ajoelhar para Rosa (Veronica Castro). Apesar de tudo parecer igual, só serviu para coroar Thalía como a digna substituta de Veronica Castro. Parece que quanto mais repetido, mais o público gosta.

foto-marimar08

Tanto que em 2013, uma nova versão foi produzida, Corazón Indomable. Ana Brenda Contreras, Daniel Arenas e Elizabeth Álvarez foram os protagonistas. A novela também fez sucesso e teve a oportunidade de aproveitar o restante da adaptação de Carlos Romero para esticar a novela.

Marimar ganhou uma legião de fãs ao redor do mundo, virou clássico, reprisada centenas de vezes, virando quase uma unanimidade… Para os fãs do gênero rosa, um prato cheio! No, que no?

Confira abaixo um vídeo com o elenco da novela:

11 comentários sobre “[1994] Marimar

  1. Khaoe Pacheco

    Muito bom o seu site! Descobri por acaso e estou lendo todo o conteúdo. O que mais achei interessante, foi o fato de você contar os bastidores das tramas, não só a sinopse como em outros sites. Parabéns,

  2. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Continue acompanhando, tô fazendo o impossível pra manter as atualizações vigentes!

  3. Lucas

    Eu gostei de Marimar, mas convenhamos que a novela abusa do rosa. Tem capítulos beeem lentos contrastando com capítulos que te tiram o fôlego, como o da vingança da Bella e da insuportável filha do governador querendo atirar nela! Não sabia que ia ser mais longa e por isso acaba daquele jeito, sem pé nem cabeça. Porém, temos aqui uma face de Thalia pouco explorada infelizmente: a de vilã. Eu adoraria que um dia ela finalmente topasse voltar as novelas e fizesse outra coisa nesse estilo.

  4. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Eu tenho impressão que CASO a Thalía voltasse a fazer novelas (coisa que eu acho difícil), seria pra seguir uma linha mais Victoria Ruffo: sem se arriscar.

  5. Diogo

    eu lembro que fui assistir pela primeira vez durante uma reprise…e não gostei tanto…hoje já curto bem mais…mas uma coisa é fato…Thalia é a indiscutível rainha das telenovelas

  6. Matheus José

    Eu guardo Marimar com muito carinho, até mais que as outras novelas da Trilogia das Marias. Acompanhei a reprise pela CNT sem esperar grandes emoções e me apeguei demais. O enredo é simples, cheio de “acasos do destino”, mas que você esperava demais pelo capítulo seguinte, principalmente na fase Bella Aldamo no Vale Encantado.
    É legal saber por aqui o por quê da última fase ter acabado tão estranha e ver pelos comentários daqui que mais gente achou estranho o desfecho.

    Por mais tosca que pareça, a morte da Angelica me deu muitos arrepios na época rsrsrs

    E a gente segue aguardando mais posts aqui no Blog O//

  7. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    A morte da Angélica é pra mim a típica cena do Valentim Pimstein: não foi bem feita, mas você não esquece. É como a morte da Soraya em Maria la del Barrio, a primeira, com ela caindo do prédio. Em comum: dublês homens representando mulheres de forma nada discreta hehehe

  8. Joyce

    Eu gostei muito de Marinar, até mais que Maria do Bairro. Tentei rever a reprise na CNT, mas a transmissão não era tão boa. Amando o site.

  9. Ana Paula Ramos

    A cena mais horrorosa foi a morte macabra da Angélica que ficou com o rosto todo deformado por causa do fogo!

  10. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Algo macabro foi o dublê masculino…Tanto que precisaram vestir a Angélica com uma roupa de homem na cena (que ela jamais havia usado algo parecido na novela), pra justificar o homem que saiu queimado do carro heheheh

  11. higor evangelista

    O QUE MAIS GOSTAVA DA NOVELA ERA CACHORRO ELE É ERA MUITO ENGRAÇADO KKK ANGELICA TAMBÉM FOI PERSONAGEM CLASSICA, CARLOS ROMERO MELHOR ADPTADOR DO MÉXICO

    NOVELAS ORIGINAIS DELE , SE EU VOCÊ PRESIDENTE DA TELEVISA MANDARIA ELE ESCREVER ALGUMAS NOVELAS ORIGINAIS
    Como tú ninguna (1994/95) (con Alberto Gómez)4
    La millonaria Fabiola (1993)
    Cara sucia (1992)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *