[2012] La Mujer del Vendaval

Esta foi mais uma tentativa de produzir uma história para o horário das 18h misturando drama e comédia. Como não poderia deixar de ser, La Mujer del Vendaval foi a típica novela produzida por Mapat: bonitinha, mas repleta de altos e baixos.

Na história, Marcela (Ariadne Díaz) está falida. Para saldar as enormes dívidas da fazenda “El Vendaval”, ela pretende cobrar a herança deixada por sua mãe – que a abandonara no passado. De acordo com o testamento, ela necessita estar casada para isso. Portanto, coloca um anúncio buscando um candidato a esposo. Entre vários candidatos, surge Alessandro Casteló (José Ron), quem mexe com seu coração. Mas esse encontro não se deu por acaso. Alessandro a buscava. Meses antes, durante um baile de máscaras, ambos se entregaram a uma noite de amor, mas no dia seguinte, uma valiosa joia da família Casteló desapareceu de sua casa, e agora ele acredita que Marcela é a culpada pelo roubo. Enquanto surge um sentimento verdadeiro entre os dois, não faltarão inimigos para destruir a felicidade entre os dois.

VENDAVAL-01Mapat foi buscar na novela Un Esposo Para Estela, de 2009, original de Camilo Hernández, a base para adaptar La Mujer del Vendaval, num texto que ficou a cargo de Gabriela Ortigoza, com quem, rumores dão conta, a produtora chegou a divergir quanto a alguns rumos da história. Mas a verdade é que existiam vários erros de adaptação, de escalação de elenco, para que a novela realmente tivesse ido melhor. La Mujer del Vendaval não chegou a ser um grande fracasso, mas passou em branco, mesmo após ter tido uma estreia promissora.

Um dos elementos que tiravam a credibilidade da história era que Marcela, na trama original (onde inclusive era vivida por Daniela Alvarado), devia ser uma moça sem graça com uma herança em vista, cujo noivo no passado a trocou por outra mulher no dia do casamento. Mas Ariadne Díaz era muito mais bela que Lourdes Reyes (quem fazia essa amante), ou que Florencia de Saracho (que fazia a prima Maria Laura – bela, mas tonta, pobre e invejosa). Por outro lado, um acontecimento que soava estranho na trama central original era que Alessandro, numa noite de tórrida paixão, fosse se interessar justamente por uma mulher gordinha e feia (ainda que escondida sob uma máscara). Nesse sentido, La Mujer del Vendaval passou mais credibilidade.

VENDAVAL-02A novela tinha inúmeros personagens e subtramas que tornaram a narrativa bastante irregular. O problema de La Mujer del Vendaval era justamente a fragilidade das ligações entre as tramas. Havia o assunto do roubo do colar, que, no fundo, pouco tinha que ver com a herança de Marcela e os problemas da fazenda “El Vendaval”.

Por vezes, bons trunfos da trama não mereciam o destaque que precisava, e outras eram elevadas para parecerem maiores. Por exemplo: Camilo (Javier Jattin), que no passado abandonara Marcela no altar, volta para atrapalhar a relação dela com Alessandro bem no dia do casamento, mas nunca chega a cumprir a função de antagonista do romance do casal. Esse papel caiu sobre o médico Emiliano (Agustin Arana), um oftalmologista que investigava a rara doença que tirava pouco a pouco a visão de Marcela – ah, essa era uma das razões que justificavam Marcela não reconhecer totalmente Alessandro do baile de Carnaval! E mesmo Emiliano, nunca representou uma opção consistente para Marcela, já que era o típico banana bonzinho que nunca terá chance alguma além de amizade com ela.

VENDAVAL-03A vilã principal da história era Octavia Cotilla (Chantal Andere), gerente da rede de hotéis Casteló, pertencente a Luciano (Alfredo Adame) e Silvana (Maria Marcela), os pais de Marcela. No passado, era fora amante do pai de Luciano, motivo pelo qual os Casteló a detestam. Além disso, sua filha Damiana (Carla Cardona) começa a novela casada com Alessandro, mas o trai. Buscando o divórcio, ela toma o carro de Alessandro – que Octavia armara para tirar os freios e matar Alessandro – mas quem morre é Damiana. Apesar disso, o ódio contra os Casteló nunca foi justificativa para que ela fosse uma inimiga tão ferrenha – se é que foi – para Marcela. Apesar disso, Octavia foi se construindo aos poucos como uma das personagens mais sólidas da novela.

La Mujer del Vendaval alternava núcleos dramáticos com cômicos, e talvez aí estivesse a dificuldade da adaptação mexicana. De engraçado, havia o núcleo do prefeito Don Timoteo (Manuel “Flaco” Ibañez) às voltas com sua amante July (Sachi Tamachiro) e seu puxa-saco oficial, Eulogio (Jorge Ortín). De pseudo-engraçado, as confusões de Nisa (Thelma Madrigal), a aloprada irmã de Alessandro com seu namorado “Cuchi” (Polo Monárrez), um boa vida sem serventia alguma. Nisa era a verdadeira responsável pelo roubo da joia da família.

VENDAVAL-04Nisa, aliás, era outra personagem totalmente sem sentido na novela. O roubo da joia, uma travessura adolescente, era totalmente injustificado, e ainda mais que ela quisesse incriminar Marcela disso para não levar a culpa. No decorrer da novela, a famosa joia – que visualmente, era de muito mau gosto, e ainda por cima, não parecia verdadeira – circulou na mão de muitos personagens, até que a própria Nisa confessa o crime, e como castigo, é mandada para o colégio militar!

Outro personagem importante é Severo (Marco Muñoz), o tio de Marcela, que volta para revelar que ele havia fugido com a mãe dela no passado. Severo é o responsável de Marcela não recuperar sua fortuna. Além disso, seu núcleo envolve uma ex-mulher, Sagrário (Magda Karina), com quem segue casado legalmente, que vive na fazenda junto com as filhas: Maria Laura e Alba (Michelle Renaud). Sagrário era a irmã da mãe de Marcela. E Severo era irmão do pai de Marcela. Mas Severo acabou perdendo bastante a importância no decorrer da novela, apesar de fazer parte das trapaças de Octavia e Maria Laura. E Sagrário era uma das personagens mais chatas, já que só tinha a função de chorar. Num dos capítulos, ela rompe o romance com o empregado Mateo (Odiseo Bichir), apenas porque no papel seguia casada com Severo – um notório canalha que não enganava ninguém!

VENDAVAL-05Maria Laura, sim, foi comendo pelas beiradas e chegou ao final da novela como uma das personagens que mais teve destaque. Porém, era difícil de acreditar que a jovem – retratada como ambiciosa, mas fútil, atrapalhada e inexperiente – chegasse a de fato, negociar com bandidos do calibre de Octavia e Severo.

Alba, a outra prima, era extremamente insossa. Era alvo do amor reprimido de Amadeo (Francisco Rubio), o tímido padeiro da cidade. Mas ela a princípio, está apaixonada por Cristian (Patricio Borghetti), o melhor amigo de Alessandro. Este, por sua vez, é casado com Nuria (Zoraida Gomez), que faz um tratamento contra o câncer, e precisa lutar pelo amor do marido – essa era uma boa trama da novela.

Ainda havia a disputa empresarial de Luciano e Alessandro. Luciano, que estava em desacordo com o casamento do filho com Marcela, fazia de tudo para tirá-lo da rede de hotéis, o que o levava a cair numa armadilha preparada por Octavia. Silvana, a mãe, conciliadora, ficava no meio do fogo cruzado entre acreditar ou não na inocência de Marcela. Além disso, uma infidelidade do passado deflagrava uma crise entre o casal. No passado, Luciano esteve apaixonado pela sedutora Valéria (Rossana San Juan), irmã de Emiliano, que a princípio se mostra amiga, mas era uma mulher perigosa que queria justamente provocar o ódio entre pai e filho quando também tenta se envolver com Alessandro.

VENDAVAL-06Da trama principal, pode-se dizer que apesar dos bons capítulos iniciais, a novela tem dificuldades para deslanchar. O casamento inicial entre Marcela e Alessandro não empolga, e algumas intenções de se fazer comédia dentro da novela, impedem que o público comece a embarcar na trama. Até porque Alessandro custa a acreditar que ela seja a responsável pelo roubo do colar. Além disso, a situação de ambos não terem certeza de que eram eles mesmos no baile de máscaras se arrastou além da conta.

As coisas começam a ficar mais interessantes quando Alessandro quita a dívida da fazenda graças a um empréstimo de Octavia sem que Marcela saiba. É quando Maria Laura e Nisa armam para que o próprio Alessandro veja provas de que Marcela é uma ladra. Bem no dia em que eles se casam pela igreja. A partir daí, a novela ganha alguns contornos de La Mentira (1998), com o casamento tormentoso e repleto de maus entendidos entre os protagonistas, e a novela ganha fôlego.

Com essa virada crucial no meio da novela, La Mujer del Vendaval definitivamente cresce e tudo que parecia meio disperso começa finalmente a fazer sentido. Só que alguns personagens perdem fôlego nesse reajuste da trama. Severo e Camilo, por exemplo, viram meros alívios cômicos dentro da novela. E, por sorte, a audiência finalmente começou a responder aos rumos que a novela tomou, deixando a comédia mais para as subtramas, e a reta final representou uma substancial retomada do público.

VENDAVAL-07A novela teve um elenco difícil de ser escalado. Os protagonistas, Ariadne Díaz e José Ron, tiveram dificuldades com seus personagens. Marcela era algo antipática, e a atriz estava visivelmente desconfortável com o visual da mesma. E Alessandro tinha uma imagem de playboy. Os dois só não foram rechaçados, porque a química entre os dois era forte – tanto, que os dois atores emendaram um romance na vida real logo em seguida.

Mesmo fazendo o mesmo papel de sempre, foi Chantal Andere quem entregou o melhor trabalho. Sua Octavia só teve um final exagerado: caiu de um precipício após tentar matar Marcela. Não era o tipo de vilã que precisava de um final extremo.

Florencia de Saracho, figurinha cativa das novelas de Mapat, novamente estava fazendo sua especialidade: as garotas irritantes. E com Maria Laura, com um misto de comédia, não foi diferente.

Os exageros ficam por conta de Alfredo Adame, péssimo como antagonistas – sempre vociferando, gritando. E Thelma Madrigal, numa composição confusa como Nisa, num personagem sem grande credibilidade também.

VENDAVAL-08Javier Jattin, galã colombiano, trazido como uma grande promessa, não aconteceu dentro da novela. E Maria Marcela (irmã da produtora Mapat) não tinha a menor postura de uma mulher realmente fina e elegante vivendo Silvana. Desde o gestual, até o visual – com um penteado exótico.

No aspecto técnico porém, a novela se defendeu de maneira primorosa. Muitas externas, o cenário da fazenda crível, qualidade de cinema, que garantiu imagens de alta qualidade, que marcaram por exemplo, as lembranças do casamento fracassado de Marcela, e a viagem à praia, onde acontece o marcante baile de máscaras – que foi relembrado exaustivamente ao longo da novela.

Assim, Mapat fez uma novela bem ao seu estilo – com um elenco esquisito, sem grandes nomes – e uma história tíbia, mas que felizmente foi recuperada a tempo de oferecer ao público um entretenimento com a cara do horário das 6.

Confira um vídeo com o elenco da novela!

8 comentários sobre “[2012] La Mujer del Vendaval

  1. Lucas

    Típica novela da Mapat que é esquecida quando acaba. Não me interessa, apesar de gostar muito do casal protagonista e de ter Chantal Andere. Engraçado como essa produtora consegue passar despercebida até quando trás algo diferente, tipo uma mocinha que não é mais virgem, que se entrega de primeira em um baile de máscaras – coisa que ainda é tabu em novelas da Televisa.

  2. João Vitor N. Mendes

    Nada nessa novela fazia sentido, tudo tinha que fazer um esforço pra engolir. Se não fosse os mocinhos que eram lindos juntos e explodiam química, seria um desastre completo!

  3. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Sim, as novelas dela geralmente ficam com aquela coisa: Ou são fracassos (Yo Amo a Juan Querendón, Ni Contigo Ni Sin Ti) ou não fedem nem cheiram (Maria Belén, Juro Que Te Amo)… La Mujer del Vendaval começou prometendo, mas terminou nesse segundo grupo.

  4. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    As ligações entre as situações e o personagens eram muito pobres, mas acredito que – como explicado no texto – as coisas foram se “colando” na segunda metade da novela.

  5. Diogo

    eu sim gosto dessa novela…quer dizer, gosto da trama central da novela…principalmente a partir da metade…porém as subtramas “engraçadas” era difíceis de engolir…confesso que não morro de amores por Ariadne Diaz…acho que ela é meio sem carisma….mas acho que houve química com José Ron.

    o elenco poderia ter mais astros né? mas tbm..novela da mapat é sempre isso…poucos astros, repercussão zero….mas até q curti bastante essa (dentro de suas limitações, claro)

  6. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    A Mapat economiza grandes nomes… As vezes bons personagens estão nas mãos de atores insípidos…Os elencos dela são tão fracos, que sua irmã (Maria Marcela) acaba sendo um nome de peso!

  7. Larissa

    Nunca assisti essa novela, mas pelas fotos o cenário da fazenda me parece muito a fazenda “el Milagro” de Mi Pecado. Gosto muito do seu site Thiago, é excelente parabéns!

  8. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Muito obrigado Larissa, que bom que curtiu o site! Continue acompanhando!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *