[2008] Alma de Hierro

As crônicas do cotidiano de uma família que poderia ser “como qualquer uma” foi o eixo central deste projeto. Alma de Hierro foi uma novela experimental que inaugurou uma nova faixa de dramaturgia no Canal de las Estrellas.

A trama gira em torno da família Hierro. O pai, José Antônio (Alejandro Camacho), dono de um açougue, homem bronco, mas bom e generoso, casado com Elena (Blanca Guerra). Ambos, vivem um casamento de 25 anos. Os filhos deles têm seus próprios problemas. Sebastián (Jorge Poza), por exemplo, é um jovem que ficou cego, e que luta para ter uma vida normal, tentando ser professor de história num colégio. Sandy (Angelique Boyer) estuda medicina, mas seu verdadeiro sonho é ser uma bailarina, para desespero do pai. E Wicho (Eddy Villard) é imaturo e pouco responsável, se sentindo esquecido pela família, que ainda agrega algumas pessoas. Ezequiel (Adrián Uribe), que foi acolhido da rua por José Antônio e Elena e considerado como filho. Angelito (Alberto Estrella), o irmão de José Antônio, e Mimicha (Luz Maria Aguilar) e Paty (Martha Julia), a mãe e a irmã de Elena. Juntos, irão enfrentar todo tipo de acontecimentos, tendo em mente que só irão em frente se permanecerem unidos.

ADH-001Alma de Hierro foi a tentativa da Televisa de lançar um horário experimental de telenovelas na faixa das 22h. O horário estaria destinado a novelas que fossem diferentes, ou que ao menos, trouxessem alguma abordagem nova. Para iniciar o horário, os últimos capítulos da atração das 21h, Pasión, foram transferidos para as 22h. Às 21h, entrou Fuego en la Sangre. Alma de Hierro substituiu Pasión. Os capítulos tinham duração de meia-hora durante toda a exibição da novela. Sendo assim, Alma de Hierro ficou no ar por 20 meses! Foram 393 capítulos!

Alma de Hierro também foi a primeira novela em parceria entre Roberto Gómez Fernández e Giselle González. Ela era habitual produtora associada das novelas dele, que assinava sozinho a produção executiva. Desta vez, ambos dividiam o mesmo peso e foram responsáveis por novelas com reconhecimento da crítica, como esta e Para Volver a Amar (2010). A parceria se dissolveu após o fracasso da comédia Cachito de Cielo (2012).

Pelo experimental que se desejava o horário, a história buscada tinha tintas de comédia e de seriado. E a história se propunha a isso, não existia exatamente uma sinopse com começo, meio e fim. Nem vilões maquiavélicos. De fato, a história respirava ares da vida real. Mesmo os protagonistas, eram imperfeitos. Hierro, por exemplo, era um homem machista e repleto de preconceitos, e que aos poucos, vai transformando. Elena, mesmo sendo boa mãe e esposa abnegada, mente conforme suas necessidades. E Rita (Adamari Lopez), que cumpria a figura antagonista, não tinha aquela função pré-definida de ser uma noiva ambiciosa louca pra casar. Seu contexto na história era outro.

ALMA-02Hierro e Elena centralizavam a ação. O casamento de 25 anos começava a balançar pelo ciúme e machismo do marido diante da necessidade que Elena sentia de trabalhar. Ela virava secretária de Saul Higareda (Juan Verduzco), um político que fora seu namorado na juventude, e que todavia seguia apaixonado por ela. Ela não cedia às investidas do ricaço, mas isso sinalizava que seu casamento já não era como antes. Mimicha, sua mãe, detestava o jeito grosseirão de Hierro e colocava mais lenha na fogueira.

A história de amor mais forte da novela se desenrolava com o triângulo amoroso entre dois irmãos e uma adolescente. Sebastián, cego, professor, se apaixonava por Renata, filha de Saul, e sua aluna. Dona de uma personalidade forte, Renata representava a adolescente comum, cheia de erros e virtudes. Despertava também a paixão de Wicho. Mas o público torceu mesmo por Renata e Sebastián, que a princípio, resistiam a assumir o que sentiam. Nesse cenário, a assistente de Sebastián na escola, Rita, aparecia como mais uma rival. Sonsa e sempre se fingindo de boazinha, Rita ia cercando Sebastián, até conseguir minar o romance dele com Renata.

ALMA-08Sandy, por sua vez, mentia que estudava medicina, enquanto tentava realizar o sonho de ser dançarina. Quem sabia de suas pretensões era Amadeo (Flavio Medina), empregado de Hierro, e que fora apaixonado por Sandy desde sempre. Sandy também sentia algo por ele, mas estava afastada porque ele estava casado com Maribel (Marcia Coutiño), com quem tinha um filho. Amadeo, porém, não se resignava a perder Sandy. E mesmo quando surgiu um novo pretendente para ela, Ari (Miguel Rodarte), Amadeo fez de tudo para salvá-la – até porque, Ari se revela um psicopata no decorrer da novela.

Outra figura importante era Ignacio (Rafael Inclán), pai de Hierro e Angelito. Ignacio era um cabeleireiro que, após ficar viúvo, assume sua homossexualidade, e tinha o apoio de toda a família, menos de Hierro, que o desprezava e se recusava a falar com ele. Quando Ignacio descobre um câncer, pai e filho se reconciliam. No decorrer da trama, Ignacio inclusive, encontra um novo amor.

ADH-002A comédia estava presente nos outros núcleos. O mulherengo Angelito vivia se metendo em confusões, e se apaixonava por Paty, para desespero de Mimicha. Paty era uma espécie de “loira burra”. Ingênua, todos se aproveitavam dela. E ela fazia a linha de mulher que estava em busca de um marido rico – desejo este alimentado pela mãe. Já Ezequiel sonhava em ser cantor.

Na Argentina, a novela foi dividida em duas fases. A primeira era mais calcada na comédia. E a segunda, mais dramática. Corresponde a fase que se inicia o divórcio entre Hierro e Elena, e a descoberta do romance entre Sebastián e Renata. No México, a novela não teve fases, seguiu a sequencia naturalmente. E, inclusive, apesar dos acontecimentos mais densos que vieram a seguir (como o câncer de mama de Elena), a novela manteve o mesmo tom, entre comédia e drama, do início ao final.

Mas, obviamente, algumas mudanças foram sentidas e novos personagens se incorporaram. Diego (Lisardo), um sedutor cineasta que se apaixona por Elena, e ela se vê também envolvida por ele, causando sua separação com Hierro. E Mariana (Alejandra Barros), uma mulher recém-divorciada e com uma filha pequena, que se apaixona por Hierro. Esses novos interesses amorosos movimentam a novela. Mas, apesar de muitas idas e vindas entre Elena e Hierro, o decorrer da novela vai mostrando que o melhor caminho para os dois é mesmo estarem separados. A situação chega a tal ponto que Elena fica grávida de Diego – o que significaria para Hierro perdê-la para sempre.

ADH-003Alguns acontecimentos da novela original Son de Fierro afetaram o desenrolar de Alma de Hierro. O ator que fazia o personagem correspondente a Saul Higareda, deixou a novela para protagonizar um outro projeto, assim que o personagem saiu também em Alma de Hierro. Outra curiosidade é que na novela original, os personagens Wicho, Renata e Karina (Gabriela Carrillo), formavam uma banda. Mas, alguns atores tinham contrato com a produtora Cris Morena (a mesma de Chiquititas e Rebelde), que impedia que eles cantassem em outras produções. Em Alma de Hierro, essa banda jamais existiu. A personagem Karina também saía no decorrer da novela (novamente, a atriz original deixou o projeto por problemas contratuais, e o mesmo destino teve a personagem mexicana).

Apesar de muito extensa, Alma de Hierro sempre se manteve interessante e sem deixar de trazer novidades. Em todos os núcleos, novos personagens surgiram a fim de manter o público atento a novela. Mas óbvio que, com 20 meses de novela, a audiência no final já não era a mesma do início. Muito também, afetada pela atração que a antecedia às 21h.

ALMA-05A mudança mais radical que a adaptação mexicana queria mudar era a morte de Sebastián. Na original, também em função da duração, o ator saía e o personagem morria de forma trágica. Desde o início, a produção mexicana queria encerrar a novela com Sebastián vivo. Mas diante dos esticamentos que também foram impostos no México, eles acabaram usando essa parte. A ação acontece quando Sebasitán pede Renata em casamento numa limousine, mas Rita o captura drogando-o. Sequestrado, Rita abusa de Sebastián e o empurra na piscina. Ela se arrepende, e o salva. Já no hospital, o médico avisa que as chances de Sebastián são poucas, já que seus pulmões estavam danificados. Sebastián recebe um transplante, e tudo parece que vai ficar bem. Quando Renata o visita no hospital, Rita tenta apunhalá-la, mas Sebastián recebe o golpe em seu lugar. Rita vai presa. Já muito abatido, a família Hierro celebra – no hospital mesmo – uma cerimônia de casamento entre Renata e Sebastián, que morre em seguida. Com certeza, o momento mais triste da novela.

Óbvio que a audiência não gostou da morte de Sebastián, porque desfez seu casal favorito. Mas a novela ainda seguiu em frente por mais algumas semanas com o surgimento de Gael (Mark Tacher), um novo interesse romântico para Renata, que muito triste pela perda de Sebastián, se nega a aceitar. Além disso, ela se descobre grávida de Sebastián, para a alegria da família Hierro. O final da novela mostra o parto de Renata, bem como Elena com Diego e seu filho, e Hierro e Mariana, também com um filho. Um final contraditório, já que ficava evidente que ainda existia algum carinho entre Elena e Hierro, apesar das diferenças irreconciliáveis.

ALMA-06Um dos pontos altos de Alma de Hierro foi a direção de Eric Morales, e a escolha do elenco. Esse papel trouxe Alejandro Camacho de volta a Televisa como protagonista, e num tipo que ele jamais fez, o herói bonachão. Acostumado a viver sofisticados vilões, fez um Hierro comum, popularesco e sem um pingo de vaidade. Uma grande atuação que rendeu inúmeros reconhecimentos. Também foi a grande oportunidade de Blanca Guerra na TV. Ela também vinha rotulada como vilã em novelas de gosto duvidoso, e sua carreira parecia estagnada. Foi um grande momento para a atriz, que com naturalidade, fez uma mulher bonita, que todavia podia ser interessante, bonita, e uma mãe exemplar.

Os atores jovens também brilharam. Jorge Poza, sempre um bom ator quando recebe um bom papel, fez uma belíssima atuação como Sebastián, o jovem cego. Sua extrema sensibilidade fez desse personagem um dos mais queridos do público. E Angelique Boyer e Eddy Villard se livraram do ranço de Rebelde com bons personagens, bem construídos e dirigidos.

A grande revelação da novela foi Zuria Vega. Filha do ator Gonzalo Vega, a jovem atriz imprimiu uma naturalidade impressionante a Renata, tornando-a tão palpável que, inclusive o fato de até então, a atriz ser desconhecida, a aproximava do público como alguém de carne e osso. A espontaneidade da personagem contribuiu para o merecido reconhecimento de Zuria Vega como uma promessa na TV.

ALMA-07As atuações maduras foram bem defendidas por Rafael Inclán e Luz Maria Aguilar. O primeiro, mesmo gay, não pendia para a caricatura. A segunda merecia um bom personagem há tempos, e Mimicha era engraçada e relevante para a história. Na família Hierro, quem destoava, era a presença de Adrián Uribe num personagem esquisito, que não se definia ao certo que idade tinha, mas não parecia um filho (por mais que fosse adotivo) de Elena e Hierro.

O que também ficou difícil de acreditar era que Sandy pudesse se sentir atraída por Amadeo, vivido por um Flavio Medina, que embora bom ator, não tem atributos físicos para formar um bom par com a exuberante atriz. Ou a presença controversa de Juan Verduzco, mais comediante que ator, e aqui num personagem que não era engraçado, e nem se pontuava como um bom rival para Hierro. Nesse sentido, compensaram com boas atuações, Lisardo, Alejandra Barros, Mark Tacher e Tiaré Scanda (que se envolvia com Ezequiel e Angelito), que seguraram bem o desafio de entrar numa novela já iniciada.

Alma de Hierro cumpriu o que se propôs: conseguiu ser uma novela, com doses realistas, sobretudo no sentido de aproximar as pessoas de problemas corriqueiros e cotidianos, fugindo do estigma de “novelão”. Uma boa trama, com bons personagens, e que sim funcionou num horário certo para ela.

Confira um vídeo exclusivo com o elenco da novela! Inscreva-se no canal do YouTube!

13 comentários sobre “[2008] Alma de Hierro

  1. Nathan

    Na verdade foi a volta com novelas no horário, encerrado em 1998, e passando a ser exlusivo de sitcons.

  2. João Vitor N. Mendes

    Eu curti bastante essa novela no principio, mas com o passar dos capitulos, foi ficando cada vez pior, quando o Sebastián morreu eu tive vontade de parar de assistir, ate porque eu acho que quase sempre os personagens com alguma deficiencia fisica ou uma doença, sempre é posto como o coitado e direto tem um final tragico, pode ser loucura minha, mas sou sismado com isso kkkk! Não gostei que a Elena e o Hierro acabassem separados, ela gravida tambem não me convenceu a Blanc gravida aos 56 anos! O casal que eu mais amei foi Sandy e Amadeo, achei que a quimica foi otima! Adorei o Poza tambem, uma pena ele ser tão desvalorizado e quase sempre ficar em papeis tristes! Otima resenha, espero anciosamente pela de Abismo De Pasion, Triunfo Del Amor, Dulce Desafio, entre outras, Hahahaha!

  3. nanda

    Oieeee demorou um pouco pra sair essa resenha mas muito boa o engraçado é que vc tem o talento de escrever uma resenha com os pontos negativos e positivos que fazem seus leitores se interessarem pela novela.
    Fico muito feliz pela angelique que como todos de rebelde saíram como um rótulo de adolescente e aos poucos ela conquistou seu lugar na tv…
    Essa novela com certeza seria muito agradável de assistir…

  4. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Eu sinceramente achei que a Elena merecia um homem que a valorizasse mais que o Hierro, que só a via como dona-de-casa e mãe. E no decorrer da novela, embora ele tenha se transformado, ainda buscava esse tipo de mulher, a Mariana por exemplo.

  5. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Sim, não que Rebelde tenha sido uma má novela… Mas como todas novelas adolescentes, lança-se muita gente, e poucos tem oportunidade de ter algo relevante. Mesmo entre os protagonistas, todos viraram astros e ainda hoje, entre êxitos e fracassos, são conhecidos. Já os coadjuvantes mereciam boas oportunidades. Além de Angelique Boyer e Eddy Villard, que figuravam no núcleo central de Alma de Hierro, a novela ainda teve as participações de Fuzz (agora como MArifer Malo, que era a amiga da Renata) e a Karla Cossío (que entrou pra ficar com o Wicho).

  6. Diogo

    alguns comentários sobre a novela
    Jorge Poza…particularmente acho q funciona melhor como coadjuvante q como protagonista….essa novela e El Manantial são prova!

    Adamari Lopez…pena ter sido sua última novela na televisa até o presente momento….sou mto fã!

    essa novela tem duas atrizes que hoje estão protanizando bastante: Angelique e Zuria…gosto mto de ambas…detakhe q Zuria teve aí sua primeira chance…e depois já protagonizou Mar de Amor…já angelique….precisou batalhar mto mais…

    nao sou mto fã de Blanca Guerra…boa atriz? sim…mas nao acho q tenha carisma…pena nao terem colocado outra atriz com mais trajetória de protagonista….mas vai ver…foi bem essa a intenção mesmo…

    Flávio Medina….mau ator? nao…mas nao curto mto…inclusive depois ele só fez o mesmo papel de vilão…nessa novela, ele fez algo diferente…mas Angelique era muita areia pra ele!

    gosto de Alberto Estrella…nessa novela ele teve chance de nao ser vilão…e enfim…ele se sai bem sempre!

  7. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Em Para Volver a Amar, o Flavio Medina também não foi vilão, apesar de ser um antagonista pra África Zavalla.

  8. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    O que ele quis dizer é que a primeira novela da Angelique foi em 2004, e em 2010 protagonizou Teresa. Já Zuria Vega fez Alma de Hierro em 2008, e poucos meses após o final, ainda em 2009, já estava em Mar de Amor.

  9. Kleber

    Sempre tinha a impressão de que essa novela não iria acabar mais. Foi muito longa!

  10. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Talvez com 1 hora de duração o capítulo, a novela teria sido mais proveitosa… Mas agora o TL Novelas irá exibir em capítulos de 1 horas, vamos ver se alguém comenta sobre sentir alguma diferença no ritmo da trama.

  11. Felipe Rodriguez

    Muito boa essa novela! Em minha opinião ela que deveria ter ganhado o prêmio Tv y Novelas de melhor novela do ano. Mas esses 393 capítulos que ela deve tira um pouco a vontade de vê-la de quem não gosta de tramas muitas longas, rs, mas mesmo assim foi uma ótima novela, ria muito com a família Hierro e suas aventuras e confusões, também notei que aqui os atores não usaram ponto eletrônico (coisa que ninguém mais deveria usar, é mil vezes melhor decorar o texto) com isso a produção da dupla Roberto Gómez Fernández e Giselle González tem vários pontos positivos nesta novela, sem falar do elenco. Ao todo “Alma de Hierro” foi muito boa, só não digo excelente porque apenas achei um pouco de exagero esses 393 capítulos.

  12. Thiago Fernandes Autor da Postagem

    Por exemplo…Uns 180 capítulos de 1 hora, seria o suficiente pra história não se alongar demais… Como por exemplo, na morte do Sebastián.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *